Casa Cor Goiás em movimento

Casa Cor Goiás chegou ao fim, mas as lentes da nossa câmera capturou os melhores espaços da mostra em 2017

Casa Cor fechou suas portas esta semana e vai já deixando saudades. Os melhores momentos da 21ª edição da mostra, no entanto, foram capturados pelas lentes do artista e fotógrafo Marcus Camargo. Fiquem então com os melhores ambientes, com o melhor do design, da Casa Cor Goiás 2017:

Casa do Boi

Em sua 21ª edição na mostra, Leo Romano assina o espaço que recebe a exposição de animais vivos


Após 20 anos de Casa Cor, Leo Romano ganhou em 2017 um presente: o projeto da casa de um animal que carrega sua marca. “Este ano eu não escolhi o ambiente, fui escolhido por ele”, brincou o arquiteto e designer. Eliane Martins e Sheila Podestá, organizadoras do evento em Goiânia, decidiram trazer para a casa este ano um animal vivo para exposição.  Lavrado e Mococa foram os selecionados para passar uma temporada na casa design e não tinha ninguém melhor que Leo para oferecer ao charmoso casal um abrigo à altura.

Além de traduzir uma importante parcela da economia do nosso estado, o boi também faz parte da história profissional de Leo. O arquiteto ousou ao usar um boi de fibra na Casa Cor Brasília no ano de 2004. Após essa mostra, incorporou a figura a sua marca.

A Casa do Boi faz parte do anexo da Casa Cor e, de longe, se vê apenas o pequeno curral feito para receber Lavrado e Mococa. “Fizemos um espaço no canto como um elemento surpresa”, disse Leo. Deu certo. Não há como não se surpreender com o ambiente de 450 m², que é um misto de elevação espiritual com requinte material. É que, para Leo, boi é um símbolo de força e riqueza.

O complexo criado pelo arquiteto gira entorno dos animais que ali se abrigam. Tudo se remete ao boi, ainda que o ambiente tenha sido dividido em quatro: capela, varanda, praça e curral. Para formação deste conceito, Leo relembrou uma infância vivida no meio rural e mesclou com a estética das capelas de fazenda.

Para que o curral garantisse a melhor estadia para os animais, foi instalado nas sombras de uma mangueira já existente no terreno. Uma praça separa o curral dos edifícios principais. Nela, um grande banco e uma mesa de confraria dá boas-vindas aos visitantes e anuncia de modo contemporâneo a atmosfera do espaço. Ao fundo se vê o que foi batizado por Closet do Boi. Ali, vários elementos usados diariamente no trato animal são expostos de maneira lúdica e cenográfica.

Da praça se ouve também o som celestial saindo de dentro da capela. Durante a mostra, a trilha sonora ficou ligada com uma música que compunha com o ambiente para criar um clima celeste.  Ao lado dos animais vivos em exposição, a capela dividiu o protagonismo do ambiente. Mobiliário, arte e design dialogam para recriam as capelas de fazenda em uma releitura de luxo, design e audácia.

A imaculada capela remontam discretamente os espaços ecumênicos e celebra a criação e a vida. O ambiente recebeu o melhor do design brasileiro, como as poltronas Chifruda, de Sérgio Rodrigues, a poltrona Latão, de Lina Bo Bardi, a poltrona Jangada, de Jean Gillon e a mesa Amorfa, de Arthur Casas. Obras de arte assinadas em parceria por Leo Romano e a artista plástica Iêda Jardim são o toque final nas paredes do espaço.

Fotos: Marcus Camargo

Entre e sinta-se bem

O Espaço Sinta-se Bem entra na Casa Cor Goiás em parceria com a Unimed Goiânia projetado por Juliana Menezes Carneiro e Roberta dos Santos Carneiro

Sinta-se bem não tem nome, sobrenome e nem definição. É um espaço conceitual por excelência. Os visitantes que buscam um título para o ambiente projetado pelas estreantes de Casa Cor Goiás Juliana Menezes Carneiro e Roberta dos Santos Carneiro se frustram, mas a decoração não deixa nada a desejar.

O Espaço Sinta-se Bem entra na Casa Cor Goiás em parceria com a Unimed Goiânia. Juliana e Roberta tiveram 12,50m² para projetar um espaço que remetesse a um ambiente de saúde e tranquilidade.

Você pode imaginar que a solução para um ambiente assim tão exíguo seriam espelhos. Não foram. A dupla quis criar um ambiente onde o foco está na alma e não no externo e por isso baniram qualquer espelho do espaço.

É que Sinta-se Bem traz como proposta apresentar ao público um ambiente ligado à saúde mental, ao descanso e ao bem estar. Aquele cantinho de relaxamento o qual todos desejamos ter em casa principalmente após um dia longo e produtivo dia de trabalho, não só para relaxar o corpo, mas principalmente a alma.

A origem do nome do ambiente veio do programa Sinta-se Bem Unimed que tem como pauta temas ligados à saúde e ao bem estar. A ideia do ambiente é trabalhar com dois materiais como foco principal: a madeira e o concreto, pois ambos podem ser trabalhados de forma leve remetendo à sensação de aconchego.  Tranquilidade não é o único destaque do ambiente, já que chamam a atenção também o banco SP do designer Pedro Petry e o Seat Garden da Tidelli móveis.

Fotos: Divulgação

Sem apelo comercial

Ninfa Canedo e Angélica Freitas assinam a Loja Conceito da Casa Cor, uma butique de muito charme e design

Design brasileiro foi o ponto de partida e chegada de um dos ambientes inaugurais da Casa Cor 2017. A Loja Conceito, espaço localizado na entrada da mostra, alia o design brasileiro à natureza: muito design assinado com uma seleção de materiais que remetem ao meio ambiente.

Esta foi a proposta adotada pela arquiteta e urbanista Ninfa Canedo e a designer Angélica Freitas. A dupla escolheu materiais tratados e rústicos, a exemplo da madeira natural, mármore e um jardim plantado em vasos. “A mistura do bom design com a natureza foram as apostas que fizemos para tirar do ambiente o apelo comercial comumente encontrado nestes espaços”, explicou Ninfa.

O desafio que Ninfa e Angélica enfrentaram era duplo: criar uma loja sem cara de loja e fazer tudo isto em poucos metros quadrados. O ambiente reservado para a Loja Conceito na mostra foi de apenas 18 m². É por isto que o ambiente se traduz em uma boutique de objetos de decoração pensada a partir de um estúdio. Resumindo: muito aconchego para apreciar a arte.

Além do binômio design e natureza, o ambiente trouxe peças de mobiliário assinadas, como o móvel bar de Paulo Alves, a poltrona Hold da Decameron Design e as mesas Sem Vergonha de Etel Carmona. O ambiente mescla arte e design nacionais e mobiliário que remete a uma atmosfera retrô. Um belo jardim de tuias plantadas em vasos complementa o espaço.

Fotos: Marcus Camargo

A lot of Genésio Maranhão

Genésio Maranhão brinda 35 anos de carreira com o ambiente A Loft Of Me na Casa Cor Goiás

Genésio Maranhão completa em 2017 mais de três décadas de carreira. São 35 anos de vida profissional que não poderiam passar em branco. E não passaram. Genésio, que já é veterano de mostra, aproveitou a 21ª edição da Casa Cor para falar um pouco de si e usou a decoração para escrever as linhas de sua vida. O ambiente projetado por ele é um registro de suas experiências vividas.

O Loft é o sonho de todo solteiro que quer uma vida reduzida. São 49 m² de estilo contemporâneo em que coube toda uma vida (além de um quarto, uma sala, um estar, uma cozinha e um banheiro).

A Loft For Me é, na verdade, a lot of Genésio Maranhão. O designer de interiores aperfeiçoou seus traços conceituais – muito usado em seus ambientes durante as participações na Casa Cor –, que agora misturam além de muito design, suas preferências pessoais. No mobiliário, reedições de peças modernas consagradas se misturam a antiguidades dos anos 50.

Perguntado sobre o tema da Casa Cor para 2017, “foco no essencial”, o designer riu: “parece que aqui não tem nada de essencial, já que fiz uma mistura cheia de tudo que gosto”, brincou. “Essencial é a alma, os sentimentos e a vivência. Acredito que consegui reunir tudo isto nestes 49m²”, concluiu Genésio.

Fotos: Marcus Camargo

Jardim seco

Mayara Oliveira cria ambiente de tranquilidade em meio à natureza para a edição 2017 da Casa Cor Goiás

A Olea Europaea, popularmente conhecida por Oliveira, dá nome ao ambiente, à profissional e ao mais importante elemento que compõe um dos ambientes externos da Casa Cor Goiás em 2017. É que a designer de interiores e paisagista Mayara Oliveira criou a Varanda da Oliveira em sua participação na 21ª edição da mostra. Nem precisamos falar qual elemento natural se destaca no ambiente, certo?

“A ideia era criar uma atmosfera mediterrânea com sensação de leveza”, explicou a designer. Acertou na escolha da planta, que além de sua origem estar na parte oriental do mar Mediterrâneo, possui propriedades medicinais, como a sua capacidade de desintoxicação do corpo humano – é por isto que azeites de oliva são bem vistos pelos nutricionistas.

Mas vamos deixar a medicina de lado e falar do que realmente importa: a decoração. O ambiente homônimo de Mayara Oliveira possui 100 metros quadrados divididos entre 60 m² de varanda e outros 40 m² de paisagismo proporcionando a integração entre design e natureza.

O ambiente tem o conceito de celebrar a vida em meio à natureza. A designer utilizou pedras, verde, tecidos naturais e madeira na varanda com ares mediterrâneos. O paisagismo é usual, chique e aromático, com uso de oliveiras, romãs, bougainvilles, alecrim, lavanda e uma parede verde. O essencial da Varanda Oliveira é a simplicidade elegante do espaço.

Fotos: Marcus Camargo

Poderoso Estar

O ambiente de André Brandão e Márcia Varizo se impõe na 21ª edição da Casa Cor pela beleza, luxo e design

O tempo que transcorre entre o ocaso e o nascer do sol parece um dos mais misteriosos do dia. É que a noite tem um ar enigmático, luxuoso e sensual, talvez por isso o ambiente inspirado neste período do dia seja um dos mais suntuosos da 21ª edição da Casa Cor Goiás. Estamos falando do ambiente projetado pelos veteranos de mostra André Brandão e Márcia Varizo.

Os arquitetos, que já participaram de 13 edições do evento, assinam o Living da edição 2017. Batizado de + Estar, o ambiente é uma mistura noturna de tons de azul, cinza e dourado. “As salas de estar são usualmente usadas nos encontros noturnos, por isso escolhemos cores mais escuras que remetem o visitante a este período do dia”, explicou André Brandão ao Blog AZ.

O charme do ambiente ficou a cargo também das combinações clássicas e modernas representadas tanto pela paleta de cores que desfila no espaço como pelos móveis que ornam a decoração. Peças consagradas do modernismo se uniram aos móveis criados especialmente para ambientes externos no + Estar.

Há referências à louçaria, à arte, ao passado e à modernidade. Móveis contemporâneos misturam com antiguidades minuciosamente garimpadas. Clássicos dos anos 60 reeditados ficam lado a lado com um biombo de pedra que parece até preciosa.

Ainda pensando na referência noturna, a iluminação tem a intenção de parecer um céu estrelado e conjuga com o grande painel do artista Santhiago Selon que ocupa toda a parede lateral do ambiente. Mas Selon não é o único artista no + Estar, seu painel está ao lado de grandes obras de arte do mobiliário nacional, como as peças de Jorge Zalszupin – poltronas e mesas –, o Sofá Dann de Danilo Lopes e Paula Gontijo (Neobox), Stella de Sérgio Rodrigues, o esplendoroso Balanço Cocar e o Banco Dueto e a Chaise Veleiro (Tidelli), ambos criados pelos próprios autores do ambiente, André Brandão e Marcia Varizo.

Fotos: Marcus Camargo

“O que você faz quando ninguém te vê fazendo?

Adriana Mundim e Fernando Rocha Galvão buscam na intimidade inspiração para a Sala de Banho da Casa Cor 2017

O que você iria fazer se ninguém pudesse te ver?” É esta a resposta que busca os arquitetos Adriana Mundim e Fernando Rocha Galvão com seu ambiente na 21ª edição da Casa Cor Goiás 2017. Na verdade, eles não querem saber a resposta para a pergunta, querem apenas que você se sinta a vontade para fazer o que quiser em um ambiente de design e muita intimidade.

“A sala de Banho é um espaço de introspecção, um ambiente para um momento individual e livre de qualquer julgamento”, explicou Adriana ao Blog AZ. A dupla é parceira de vida e de trabalho – atuam juntos no Mezzo Arquitetura. Em 2017, participam pela 15ª vez na mostra.

Este ano ficaram encarregados do espaço conceito da Aldeia, batizada de Sala de Banho Aldeia, e se inspiraram na intimidade que o momento do banho representa: terapia e reflexão. Sem limites físicos que separem os ambientes, a mensagem passada pela escolha dos materiais e da decoração é mesmo de liberdade.

A liberdade que a intimidade proporciona, muitas vezes tolhida pelas relações sociais, fez com que o casal criasse um ambiente verdadeiramente único. O spa foi projetado principalmente com elementos naturais como o bambu, uma referência às antigas salas de banho e principalmente à natureza.

A natureza está também na madeira e nas pedras que decoram parte da Sala de Banho. O mobiliário é um destaque à parte, sobretudo com as poltronas Benjamim, de Sergio Rodrigues, e a estante Calle, da Estudiobola – todas vinda direta do Armazém da Decoração.

Fotos: Marcus Camargo

Cozinha dos Amigos

Cozinha dos Amigos, de Giovanni Borges, é um reduto de design

A cozinha, há uns anos, era encarada como uma área de serviço da casa. Hoje ela se tornou um grande estar e, podemos certamente dizer, um dos cômodos mais importantes da casa. Foi por isto que o veterano de Casa Cor, arquiteto Giovanni Borges, deu uma atenção especial para os 49 m² que teve de ambiente na mostra em 2017.

“O essencial é a convivência”, explicou o arquiteto, fazendo referência ao tema escolhida pela Casa Cor para direcionar os profissionais este ano. “É em razão dessa essencialidade que a cozinha tem ganhado importância nas casas, pois se tornou um espaço de convergência entre bons amigos, boa comida e bons vinhos”, concluiu.

Com isso em mente, Giovanni projetou um estar onde cozinha e sala se integram em um grande ambiente. A Cozinha dos Amigos carrega o conceito de bem querer e estar ao lado de pessoas queridas, tudo isto recheado do estilo contemporâneo que acompanha o trabalho do arquiteto.

Segundo o Giovanni, as pessoas estão mudando o antigo hábito de comer sempre na rua e passam a receber mais os amigos, é por isto que a cozinha deve ser ao mesmo tempo funcional e elegante. O mobiliário foi selecionado seguindo esta linha de raciocínio: busca por ergonomia e design – tudo que o Armazém mais tem. É por isto que grandes nomes do design nacional, saídos de nossa loja, se destacam no ambiente.

Fotos: Marcus Ferreira

Refúgio da Pérgola

Nando Nunes cria um refúgio de design para a 21ª edição da Casa Cor Goiás


A arquitetura contemporânea já está cheia de varandas gourmet e a ideia de Nando Nunes para seu ambiente na 21ª edição da Casa Cor Goiás não era criar mais uma delas. Na verdade, o ambiente de Nando é Nando.

O designer de interiores, que participa de sua oitava edição de mostra, se inspirou no que mais gosta para criar um espaço funcional. Coisas como vinho, música, livros e – principalmente – a ideia de se curtir são as bases que sustentam toda a decoração do Refúgio da Pérgola.

É por isto que o ambiente de Nando é o Nando, mas pode ser de qualquer um de nós, afinal quem não gosta de se curtir ao gosto de um bom vinho, ao som de uma boa música e na presença de boas companhias – ainda que esta companhia seja a sua própria?

O Refúgio da Pérgola é um espaço onde arquitetura, design e funcionalidade criam um conjunto primoroso e harmônico. O ambiente é um estar, mas ao mesmo tempo é um spa ou uma sala – sem televisão. Tudo foi projetado para que cada espaço seja aproveitado ao máximo como uma espécie de anexo da casa.

Nando utilizou estrutura metálica que, aliada aos brises de madeira de demolição, resulta em uma obra contemporânea e arrojada, predominando os tons de cinza e preto. “Fizemos uma simbiose de materiais distintos, como pedra, madeira e concreto para criar uma ideia de interação com o natural”, explicou Nando.

Na sala de estar, com uma belíssima mesa de jantar, o destaque são as cadeiras do designer Andrea Borgoni, lançado na feira de Milão e vindo do Armazém da Decoração. A varanda abriga uma adega com uma bancada de pedra que dá continuidade para o lado externo e se transforma também na bancada do spa, composto de seixos soltos com uma banheira no quartzito negresco.

A estante louro freijó se destaca no ambiente, especialmente pelo fato de ter sido projetada pelo designer especificamente para o Refúgio da Pérgola – um casamento perfeito com o sofá Herman de Danilo Lopes e Paula Gontijo. A clássica Mole de Sergio Rodrigues, uma das paixões de Nando, completa a coleção de móveis assinados pelos grandes nomes do design nacional.

Fotos: Marcus Camargo