Mole, Moleca e Sheriff

Mole 57: Armazém da Decoração realiza brunch para comemorar os 60 anos da Poltrona Mole


É o ano dela, da poltrona mais famosa do design brasileiro. Tão famosa que em 2017, ano em que completa seus 60, ganhou uma edição comemorativa. Os bons de matemática já fizeram um cálculo rápido para constatar que a Mole nasceu em 1957 pelas mãos criativas de Sérgio Rodrigues, mas ela faz parte de uma família que se transformou e ganhou novas versões ao longo dos anos.

A primeira delas surgiu em 1961. Foi o ano que a Mole de fato caiu no gosto do público após sair vencedora do 4º Concurso Internacional de Design de Móveis de Cantu, na Itália. Naquele mesmo ano, Sérgio fez alterações em seu desenho original, dando vida à Poltrona Sheriff.

A Mole original foi criada sob encomenda. O fotógrafo Otto Stupakoff queria de Sergio Rodrigues um sofá que pudesse se sentir rei, isto é, confortável, porém imponente. O designer, que tinha acabado de criar sua empresa, a Oca, desenhou a estrutura de madeira torneada e a batizou de Mole. Até 1961, entretanto, a poltrona ficou encostada na Oca e não ganhou muitos adeptos.

Foi apelidada de Sheriff quando recebeu algumas modificações para o concurso. Em 1963 a segunda versão da Mole, completando o trio de poltronas icônicas de Sérgio Rodrigues, ganhou vida. A peça foi batizada de Moleca. A grande diferença entre a Mole original, a sucessora Sheriff (que é chamada também pelo nome Mole) e a Moleca é que esta última ganhou uma estrutura desmontável.

Como estamos em ano de comemoração, a edição Mole 57 não poderia passar em branco. É por isto que o Armazém da Decoração receberá convidados para um brunch no próximo sábado (25), ocasião que celebrará a Mole (Sheriff) e a Moleca.

Poltrona Moleca

Poltrona Sheriff (Mole)

Armazém da Decoração com 30% OFF

Armazém da Decoração com 30% de desconto

Quando o final de ano começa a se aproximar, a loja se organiza para mais uma temporada de oportunidades. 2017 não poderia ser diferente. Durante todo o mês de novembro, os produtos a pronta-entrega do Armazém da Decoração estarão em promoção, com 30% de desconto. Não perca esta oportunidade.

* A promoção não é válida para produtos Etel, Vermeil e obras de arte.

Varanda Tidelli no Armazém da Decoração

Varanda Tidelli

O Armazém da Decoração prepara a loja para o verão. A Tidelli se firmou no mercado, com quase três décadas de história, como a marca dos móveis externos. Suas cordas náuticas e seu colorido convidam para o sol, a piscina e a vida fora das quatro paredes. A Varanda Tidelli é um espaço criado dentro da loja para receber estas peças. Amanhã (28), entre 9h e 13h, as portas da loja estarão abertas para apresentar a Varanda Tropical Tidelli.

Noite de lançamento no AZ Decor

Leo Romano lança a linha de móveis Para Ser Feliz no Armazém da Decoração

Parafraseando Leo, “uma folha branca se revela em alguma forma”. As criações, na dança e no design, se encontraram relevadas em várias formas na Sala Conceito do Armazém da Decoração na noite desta quinta-feira (19).

É que durante o lançamento da coleção Para Ser Feliz, o branco se revelou na coleção de móveis saída da imaginação criativa de Leo, amadurecida em seus cadernos e transformada em 14 peças que misturam funcionalidade, design e poesia. Outra forma que saiu do branco nesta noite foi a dos bailarinos Cleison e Paula que, trajados de branco, nos revelaram o poder da arte e a emoção da dança.

Casa Cor Goiás em movimento

Casa Cor Goiás chegou ao fim, mas as lentes da nossa câmera capturou os melhores espaços da mostra em 2017

Casa Cor fechou suas portas esta semana e vai já deixando saudades. Os melhores momentos da 21ª edição da mostra, no entanto, foram capturados pelas lentes do artista e fotógrafo Marcus Camargo. Fiquem então com os melhores ambientes, com o melhor do design, da Casa Cor Goiás 2017:

Casa do Boi

Em sua 21ª edição na mostra, Leo Romano assina o espaço que recebe a exposição de animais vivos


Após 20 anos de Casa Cor, Leo Romano ganhou em 2017 um presente: o projeto da casa de um animal que carrega sua marca. “Este ano eu não escolhi o ambiente, fui escolhido por ele”, brincou o arquiteto e designer. Eliane Martins e Sheila Podestá, organizadoras do evento em Goiânia, decidiram trazer para a casa este ano um animal vivo para exposição.  Lavrado e Mococa foram os selecionados para passar uma temporada na casa design e não tinha ninguém melhor que Leo para oferecer ao charmoso casal um abrigo à altura.

Além de traduzir uma importante parcela da economia do nosso estado, o boi também faz parte da história profissional de Leo. O arquiteto ousou ao usar um boi de fibra na Casa Cor Brasília no ano de 2004. Após essa mostra, incorporou a figura a sua marca.

A Casa do Boi faz parte do anexo da Casa Cor e, de longe, se vê apenas o pequeno curral feito para receber Lavrado e Mococa. “Fizemos um espaço no canto como um elemento surpresa”, disse Leo. Deu certo. Não há como não se surpreender com o ambiente de 450 m², que é um misto de elevação espiritual com requinte material. É que, para Leo, boi é um símbolo de força e riqueza.

O complexo criado pelo arquiteto gira entorno dos animais que ali se abrigam. Tudo se remete ao boi, ainda que o ambiente tenha sido dividido em quatro: capela, varanda, praça e curral. Para formação deste conceito, Leo relembrou uma infância vivida no meio rural e mesclou com a estética das capelas de fazenda.

Para que o curral garantisse a melhor estadia para os animais, foi instalado nas sombras de uma mangueira já existente no terreno. Uma praça separa o curral dos edifícios principais. Nela, um grande banco e uma mesa de confraria dá boas-vindas aos visitantes e anuncia de modo contemporâneo a atmosfera do espaço. Ao fundo se vê o que foi batizado por Closet do Boi. Ali, vários elementos usados diariamente no trato animal são expostos de maneira lúdica e cenográfica.

Da praça se ouve também o som celestial saindo de dentro da capela. Durante a mostra, a trilha sonora ficou ligada com uma música que compunha com o ambiente para criar um clima celeste.  Ao lado dos animais vivos em exposição, a capela dividiu o protagonismo do ambiente. Mobiliário, arte e design dialogam para recriam as capelas de fazenda em uma releitura de luxo, design e audácia.

A imaculada capela remontam discretamente os espaços ecumênicos e celebra a criação e a vida. O ambiente recebeu o melhor do design brasileiro, como as poltronas Chifruda, de Sérgio Rodrigues, a poltrona Latão, de Lina Bo Bardi, a poltrona Jangada, de Jean Gillon e a mesa Amorfa, de Arthur Casas. Obras de arte assinadas em parceria por Leo Romano e a artista plástica Iêda Jardim são o toque final nas paredes do espaço.

Fotos: Marcus Camargo

Entre e sinta-se bem

O Espaço Sinta-se Bem entra na Casa Cor Goiás em parceria com a Unimed Goiânia projetado por Juliana Menezes Carneiro e Roberta dos Santos Carneiro

Sinta-se bem não tem nome, sobrenome e nem definição. É um espaço conceitual por excelência. Os visitantes que buscam um título para o ambiente projetado pelas estreantes de Casa Cor Goiás Juliana Menezes Carneiro e Roberta dos Santos Carneiro se frustram, mas a decoração não deixa nada a desejar.

O Espaço Sinta-se Bem entra na Casa Cor Goiás em parceria com a Unimed Goiânia. Juliana e Roberta tiveram 12,50m² para projetar um espaço que remetesse a um ambiente de saúde e tranquilidade.

Você pode imaginar que a solução para um ambiente assim tão exíguo seriam espelhos. Não foram. A dupla quis criar um ambiente onde o foco está na alma e não no externo e por isso baniram qualquer espelho do espaço.

É que Sinta-se Bem traz como proposta apresentar ao público um ambiente ligado à saúde mental, ao descanso e ao bem estar. Aquele cantinho de relaxamento o qual todos desejamos ter em casa principalmente após um dia longo e produtivo dia de trabalho, não só para relaxar o corpo, mas principalmente a alma.

A origem do nome do ambiente veio do programa Sinta-se Bem Unimed que tem como pauta temas ligados à saúde e ao bem estar. A ideia do ambiente é trabalhar com dois materiais como foco principal: a madeira e o concreto, pois ambos podem ser trabalhados de forma leve remetendo à sensação de aconchego.  Tranquilidade não é o único destaque do ambiente, já que chamam a atenção também o banco SP do designer Pedro Petry e o Seat Garden da Tidelli móveis.

Fotos: Divulgação

Sem apelo comercial

Ninfa Canedo e Angélica Freitas assinam a Loja Conceito da Casa Cor, uma butique de muito charme e design

Design brasileiro foi o ponto de partida e chegada de um dos ambientes inaugurais da Casa Cor 2017. A Loja Conceito, espaço localizado na entrada da mostra, alia o design brasileiro à natureza: muito design assinado com uma seleção de materiais que remetem ao meio ambiente.

Esta foi a proposta adotada pela arquiteta e urbanista Ninfa Canedo e a designer Angélica Freitas. A dupla escolheu materiais tratados e rústicos, a exemplo da madeira natural, mármore e um jardim plantado em vasos. “A mistura do bom design com a natureza foram as apostas que fizemos para tirar do ambiente o apelo comercial comumente encontrado nestes espaços”, explicou Ninfa.

O desafio que Ninfa e Angélica enfrentaram era duplo: criar uma loja sem cara de loja e fazer tudo isto em poucos metros quadrados. O ambiente reservado para a Loja Conceito na mostra foi de apenas 18 m². É por isto que o ambiente se traduz em uma boutique de objetos de decoração pensada a partir de um estúdio. Resumindo: muito aconchego para apreciar a arte.

Além do binômio design e natureza, o ambiente trouxe peças de mobiliário assinadas, como o móvel bar de Paulo Alves, a poltrona Hold da Decameron Design e as mesas Sem Vergonha de Etel Carmona. O ambiente mescla arte e design nacionais e mobiliário que remete a uma atmosfera retrô. Um belo jardim de tuias plantadas em vasos complementa o espaço.

Fotos: Marcus Camargo

A lot of Genésio Maranhão

Genésio Maranhão brinda 35 anos de carreira com o ambiente A Loft Of Me na Casa Cor Goiás

Genésio Maranhão completa em 2017 mais de três décadas de carreira. São 35 anos de vida profissional que não poderiam passar em branco. E não passaram. Genésio, que já é veterano de mostra, aproveitou a 21ª edição da Casa Cor para falar um pouco de si e usou a decoração para escrever as linhas de sua vida. O ambiente projetado por ele é um registro de suas experiências vividas.

O Loft é o sonho de todo solteiro que quer uma vida reduzida. São 49 m² de estilo contemporâneo em que coube toda uma vida (além de um quarto, uma sala, um estar, uma cozinha e um banheiro).

A Loft For Me é, na verdade, a lot of Genésio Maranhão. O designer de interiores aperfeiçoou seus traços conceituais – muito usado em seus ambientes durante as participações na Casa Cor –, que agora misturam além de muito design, suas preferências pessoais. No mobiliário, reedições de peças modernas consagradas se misturam a antiguidades dos anos 50.

Perguntado sobre o tema da Casa Cor para 2017, “foco no essencial”, o designer riu: “parece que aqui não tem nada de essencial, já que fiz uma mistura cheia de tudo que gosto”, brincou. “Essencial é a alma, os sentimentos e a vivência. Acredito que consegui reunir tudo isto nestes 49m²”, concluiu Genésio.

Fotos: Marcus Camargo

Jardim seco

Mayara Oliveira cria ambiente de tranquilidade em meio à natureza para a edição 2017 da Casa Cor Goiás

A Olea Europaea, popularmente conhecida por Oliveira, dá nome ao ambiente, à profissional e ao mais importante elemento que compõe um dos ambientes externos da Casa Cor Goiás em 2017. É que a designer de interiores e paisagista Mayara Oliveira criou a Varanda da Oliveira em sua participação na 21ª edição da mostra. Nem precisamos falar qual elemento natural se destaca no ambiente, certo?

“A ideia era criar uma atmosfera mediterrânea com sensação de leveza”, explicou a designer. Acertou na escolha da planta, que além de sua origem estar na parte oriental do mar Mediterrâneo, possui propriedades medicinais, como a sua capacidade de desintoxicação do corpo humano – é por isto que azeites de oliva são bem vistos pelos nutricionistas.

Mas vamos deixar a medicina de lado e falar do que realmente importa: a decoração. O ambiente homônimo de Mayara Oliveira possui 100 metros quadrados divididos entre 60 m² de varanda e outros 40 m² de paisagismo proporcionando a integração entre design e natureza.

O ambiente tem o conceito de celebrar a vida em meio à natureza. A designer utilizou pedras, verde, tecidos naturais e madeira na varanda com ares mediterrâneos. O paisagismo é usual, chique e aromático, com uso de oliveiras, romãs, bougainvilles, alecrim, lavanda e uma parede verde. O essencial da Varanda Oliveira é a simplicidade elegante do espaço.

Fotos: Marcus Camargo