Yayoni Kusama em pontinhos para crianças

A jornada de vida da artista japonesa Yayoni Kusama virou o livro infantil Yayoi Kusama: To Infinity and Beyond!


A obsessão virou arte e agora a arte virou história para criança. É que Yayoi Kusama se transformou em livro infantil contado por meio de seu peculiar jeito de ver o mundo: cheio de pontinhos. A artista japonesa de 88 anos de idade fez sucesso em todo mundo com suas obras contemporâneas e performáticas, mas sua história tem algo de peculiar.

Vítima de alucinações, Yayoi transformou suas obsessões em exposições artísticas. Suas obras são marcadas pelas repetições de pontos e elementos, como se a artista quisesse compartilhar suas alucinações com o resto do mundo. Atualmente, Yayoi Kusama vive voluntariamente em uma instituição psiquiátrica. A jornada da artista, entretanto, se transformou no livro Yayoi Kusama: To Infinity and Beyond!, para crianças, produzido pela ilustradora Ellen Weinstein e a curadora do MoMA, Sarah Suzuki.

Nascida em 1929, Yayoi Kusama se mudou para Nova York no fim década de 1950 onde trabalhou com figuras como Donald Judd, Andy Warhol, Claes Oldenberg e Joseph Cornell. Uma artista completa, a japonesa conquistou a cena mundial de arte contemporânea com performances, videoarte, filmes, pintura, desenho, escultura, instalação, moda, poesia, ficção e happenings, transformando os lugares onde passava em telas em branco prontas para receberem sua arte.

No livro, história começa com Yayoni ainda criança já com suas aspirações artísticas – ela passava a maior parte do tempo desenhado e pintando. Na escola de artes, sofreu com rigidez de ser forçada a pintar no estilo tradicional japonês. Na busco por uma vida livre de regras, Yayoni muda-se para Nova York, onde se torna famosa por suas pinturas de bolinhas e esculturas gigantes e luxuosas. No final, livro mostra o retorno de Yayoni Kusama ao Japão, onde ela cria todo seu trabalho em um estúdio perto da instalação psiquiátrica de Tóquio onde vive, voluntariamente, desde 1977.

Imagens: Divulgação

Rosembaum projeta escola no Tocantins a partir do resgate cultural

Com a ajuda dos alunos, Marcelo Rosembaum e escritório Aleph Zero projetaram nova sede da escola Formoso de Araguaia, na zona rural do Tocantins

Quando propagandas de governo soltam jargões do tipo “a escola é para todos”, Marcelo Rosembaum levou a sério. Na verdade, o arquiteto levou tão ao pé da letra que a escola de todos foi projetada por todos. Estamos falando do projeto da Fundação Bradesco na zona rural de Formoso de Araguaia, no Tocantins (320 km de Palmas), que Marcelo desenvolveu com a ajuda dos alunos.

A Fazenda Canuanã abriga um internato que acolhe 800 alunos da zona rural, onde não há qualquer acesso à educação. A entidade, mantida pela Fundação Bradesco, precisava de uma sede nova para os grandes pavilhões onde dormiam os 540 alunos do Ensino Fundamental 2 e decidiram convidar Marcelo Rosembaum para tocar o projeto.

O arquiteto foi indicado à fundação em decorrência de seu trabalho em outro projeto, A gente transforma, um movimento de divulgação do design da cultura dos povos de cada região, com desenvolvimento sustentável. Afinal, o olhar atento do arquiteto e designer para a brasilidade e a união com a valorização da cultura popular formam a base de seu trabalho.

Para recriar a escola no Tocantins, Marcelo Rosenbaum convidou o escritório Aleph Zero, de Gustavo Utrabo e Pedro Duschenes, para desenvolver com ele o projeto de arquitetura. O primeiro passo foi conhecer de perto os verdadeiros clientes da empreitada: os estudantes. Marcelo, Gustavo e Pedro elaboraram tarefas para as crianças se expressarem com “O que faz de Canuanã minha casa?”.

Os estudantes elaboraram textos, desenhos, pinturas e encenações num festival criativo, com dinâmicas entre alunos e profissionais. Foi dai que o trio tirou inspiração para a nova escola. “Por mais que cada um manifestasse seus desejos individuais, nossa leitura buscava o que era universal”, explicou Gustavo.

A referência foi a regionalidade. Segundo Rosenbaum, os alunos muitas vezes não se reconhecem na cultura a qual pertencem e era preciso mudar isto. Muita madeira e verde foram selecionadas para a criação desse projeto de resgate da cultura das construções nas aldeias. Segundo o diretor da escola, o resultado da nova construção é perceptível no comportamento dos alunos, que após a inauguração dos novos pavilhões estão mais calmos e mais felizes.

Imagens: Divulgação

Êxodos ganha exposição na Caixa Cultural de Brasília

Um dos principais trabalhos de Sebastião Salgado chega em Brasília para um mês de exposição na Caixa Cultural


Cidadão do mundo, Sebastião Salgado é um dos principais nomes da fotografia nacional e mundial. Um de seus principais trabalhos, Êxodos, ganhou exposição na Caixa Cultural aqui pertinho de nós goianos, em Brasília. A exposição estreia nesta quarta-feira (30) e segue até o dia 29 de outubro na capital federal.

Sebastião cruzou o mundo a procura do mundo. O fotógrafo viajou para mais de 100 países entre os anos de 2004 e 2012 visitando regiões como Alasca, Patagônia, Etiópia e Amazônia. Em uma destas viagens, acabou capturando imagem de pessoas deixaram sua terra natal contra a própria vontade: migrantes, refugiados e exilados unindo um total de 60 pôsteres.

Êxodos é um de seus mais notórios trabalhos e acaba por relatar um tema que nunca deixa de ser atual: a partida. Na mostra, fotografias foram divididas em cinco temas centrais: África; Luta pela Terra; Refugiados e Migrados; Megacidades; e Retratos de Crianças.

Sebastião Salgado nasceu em Aimorés, interior de Minas Gerais, no ano de 1944 e seguiu seu caminho esperando se tornar um economista. Com graduação e pós-graduação na área, Sebastião se mudou para Paris, onde atuou como economista e acabou se tornando fotógrafo.

Êxodos”
Onde: Caixa Cultural Brasília – Galeria Vitrine
(SBS – Quadra 4 – Lotes 3/4)
Quando: De 30 de agosto a 29 de outubro,
 das 9h às 21h (de terça a domingo).
Quanto: Entrada franca.

Ethiopia, 1984gado


Imagens:
Sebastião Salgado/Divulgação

Mole 57: edição comemorativa da poltrona icônica de Sérgio Rodrigues

Batizada de Mole 57, a edição 2017 da icônica Mole de Sérgio Rodrigues comemora os 60 anos da poltrona

A história da Mole já é conhecida de nosso Blog AZ. Em 1957 Sérgio Rodrigues recebeu uma encomenda: fabricar uma poltrona “preguiçosa”. O fotógrafo Otto Stupakoff queria de Sergio Rodrigues um sofá que pudesse se sentir rei, isto é, confortável, porém imponente. O designer, que tinha acabado de criar sua empresa, a Oca, desenhou a estrutura de madeira torneada e a batizou de Mole.

A poltrona ficou esquecida nas vitrines da Oca até 1961, quando recebeu o grande prêmio no 4º Concurso Internacional do Móvel – e a projeção internacional – na cidade italiana de Cantù. A partir de então Sérgio passou a colocar o design nacional em destaque no mundo, tendo a Mole como atração principal.

A partir da década de 1990 a Mole voltou a ser reeditada, mas este ano a reedição vem com um diferencial: edição limitada, especial e original do móvel. É que a Mole 57, fabricada com madeira maciça de Imbuia, representa a edição especial comemorativa dos 60 anos da poltrona.

A Mole 57, com edição limitada a 60 exemplares, segue o desenho original feito por Sergio Rodrigues em 1957 e tem características singulares que a diferenciam da poltrona reeditada pelo designer no final dos anos 1990 e ainda comercializada no Brasil e no exterior. Outro diferencial é que a poltrona vem com um selo comemorativo gravado a laser em baixo relevo com aplicação de folha de ouro e numeração de 1 a 60.

Ceará terá a primeira cidade sustentável brasileira

O Ceará receberá a primeira cidade 100% sustentável do Brasil em um terreno que fica a 55 Km de Fortaleza

Sustentabilidade é palavra de ordem em um mundo cada vez mais prejudicado pela ação destrutiva do homem no meio ambiente. Tratados são assiandos e pesquisas são realizadas, mas de nada adianta a força do papel se o comportamento das pessoas não mudar também. Pensando nisso que arquitetos e urbanistas engrossara o coro dos cientistas em busca de saídas ecologicamente sustentáveis para a vida em sociedade.

Foi dessa parceria que cidades sustentáveis começaram a ser desenvolvidas em várias partes do mundo e o Brasil faz parte delas. É que está planejado para ser inaugurada ainda este ano a primeira cidade 100% sustentável do Brasil, no Ceará – próxima ao Porto do Pecém, Complexo Industrial e a 55 Km de Fortaleza. O projeto já tem até nome: cidade de Croatá Laguna EcoPark.

O programada está sendo desenvolvido com apoio das companhias italianas Planeta Idea e SocialFare e da StarTAU, nome do Centro de Empreendedorismo da Universidade de Tel Aviv, em Israel. A empresa Planet foi quem desenvolveu o projeto arquitetônico e urbanístico da cidade em uma área de 327,77 hectares distribuídos da seguinte maneira: 15% de área verde, 5% de uso institucional, 5% de interesse social, 20% de viário e áreas para fins industriais, residenciais e comerciais.

A cidade já nasce com corredores verdes ao longo de toda sua área de extensão com ciclovias de ponta a ponta, tratamento de águas residuais e aproveitamento de águas pluviais. Não poderia faltar também a coleta inteligente de resíduos e produção de energia solar e eólica – com controle constante da qualidade do ar e da água.

Nas áreas públicas, Croatá Laguna contará com praças equipadas com aparelhos esportivos que geram energia por meio dos movimentos dos cidadãos, iluminação pública inteligente, desenvolvimento de aplicativos para serviços de mobilidade compartilhada, hortas compartilhadas espalhadas por toda a cidade e, claro, infraestrutura digital com wi-fi grátis para todos os moradores – que possibilitará aos moradores o acesso a tudo o que acontece na cidade, em tempo real, por meio de aplicativo, uma espécie de painel de controle de Croatá Laguna.

Vamos falar de preços: o projeto é que o valor da casa será de R$ 24.300,00, segundo os idealizadores, que podem ser pagos em até 120 vezes, exatamente para serem uma alternativa à população de baixa renda.

Imagens: Divulgação

Tidelli durante a DW São Paulo Weekend

Conheça os lançamentos da Tidelli durante a SW São Paulo Weekend

 


Na ressaca da semana de design mais badalada da América Latina, precisamos falar de novidades. O responsável pelos lançamentos do post de hoje é a Tidelli, que além de lançar – com a já anunciada parceria com Ruy Ohtake – o balanço pendulo, apresentou outras novidades durante os eventos que acontecem em São Paulo por conta de DW.

Poltrona Quintal por Mauricio Arruda

É possível encontrar por quase todo o Brasil variações de um modelo de poltrona de ferro tubular com revestimento de tubo plástico colorido, conhecida como Poltrona Espaguete. Ela está presente em quintais, varandas e até salas de estar. Sua forma inspirou inúmeros designers ao longo das últimas décadas, transformando essa peça num clássico do mobiliário. A Tidelli e o arquiteto e designer Mauricio Arruda desenvolveram a poltrona Quintal, uma releitura desse ícone brasileiro. A combinação da estrutura leve em alumínio com a resistente corda náutica permitiu a criação de uma peça contemporânea com inúmeros acabamentos, que valoriza o processo semi-artesanal tão característico do design contemporâneo brasileiro.

Linha Boss por Luciano Mandelli

Luciano Mandelli fez uma releitura da cadeira de diretor, que saiu dos estúdios e ganhou a decoração de ambientes. A versão da Tidelli pode ter acabamento em tela e corda e garante conforto inigualável em relação às outras peças Linha Sedona.

Linha Sedona por Tatiana Mandelli

A nova trama xadrez é o destaque da linha Sedona, assinada por Tatiana Mandelli, que permite a aplicação de até duas cores juntas. Sofá, cadeira, poltrona, mesa de centro são as novidades. O sofá e poltrona possuem formas arredondadas e orgânicas, que valorizam tecidos, almofadas e as tramas.

Arte

No quesito arte, a Tidelli também não ficou de fora. É que a InnovasionSP, em parceria com o arquiteto e designer Marko Brajovic, realizou a “Wave Tidelli”, uma instalação que remete a uma onda de design ao estilo da marca: realizada cordas náuticas. Para o projeto, o ateliê do designer realizou uma instalação imersiva, de escala urbana, na área externa da casa, que reflete as características, tecnologias e materialidades dos objetos da marca. É uma intervenção leve, criativa e interativa para transformar o espaço em uma obra de arte. A arquitetura da estrutura aérea tridimensional, confeccionada com cordas náuticas, serve como um convite para a entrada da loja que abrigará os lançamentos da marca, expostos como em uma galeria de arte.

Fonte: Tidelli

Começa hoje a 6ª edição da São Paulo Design Weekend

DW! São Paulo Design Weekend acontece de hoje até domingo com mais de 300 eventos simultâneos na capital paulista

 


Esta semana o assunto é design e não poderia ser outro: estamos na semana de design mais importante da América Latina. Ontem o São Paulo Expo abriu as portas para o segundo ano de High Design – Home & Office Expo (entre os dias 8 e 10 de agosto). Hoje é a vez da São Paulo Design Weekend, que segue até domingo (13) em toda a capital paulista.

O Design Weekend é um festival urbano que tem o objetivo de promover a cultura do design e suas conexões com arquitetura, arte, decoração, urbanismo, inclusão social, negócios, inovação tecnológica e outros temas da Economia Criativa. O evento é composto por diversas atrações organizadas por diversos parceiros independentes e realizadas de forma simultânea e integrados por um Programa Oficial do Design Weekend.

A abertura do evento ocorreu nesta manhã com a palestra do diretor de ilustração e arte da TV Globo Alexandre Arrabal. A partir de agora a cidade não para. O programa é composto por feiras e rodadas de negócios, palestras em instituições educacionais, visitas guiadas em galerias e ateliês, exposições, instalações, intervenções artísticas e urbanas, circuitos temáticos, concursos, festas e lançamentos de produtos em lojas e showrooms.

Foto: Loiro Cunha

Em 2017 a DW chega a sua 6º edição com mais de 300 eventos simultâneos, e alguns que ganharam destaque pela importância. A MADE – feira de mercado, arte e design – chega este ano em sua 5º edição e reúne mais de 100 expositores no prédio da Bienal com o tema “Tramas” (valorização da conexão entre materiais, formas e o fazer manual das obras). Hoje encarra a décima edição do BoomSPDesign parque Ibirapuera, evento que mistura palestras com exposições e workshops. Durante a High Design, será realizado o Salão Design, maior prêmio de design de produto da América Latina.

A Etel  estará na alameda Gabriel Monteiro da Silva com a mostra “Mulheres À Frente do Design”, uma coletânea das obras de Lina Bo Bardi, Etel Carmona, Claudia Moreira Salles e Lia Siqueira sob curadoria de Lissa Carmona, com a seleção de peças inéditas e reeditadas. Gabriel Monteiro da Silva é parada obrigatória para quem curte a Design Weekend. Em seus mais de 2 mil metros de extensão, a alameda concentra as principais marcas nacionais e internacionais de design. Durante a DW, a alameda contará com lançamentos de livros, intervenção urbana e talks sobre design e cultura.

High Design abre as portas hoje em São Paulo

High Design, feira âncora DW! São Paulo Design Weekend, começa hoje com as novidades do design nacional

Chegamos à semana mais importante do Brasil quando o assunto é design. Aliás, não apenas do Brasil, pois estamos nos referindo a um evento de peso em toda a América Latina. É que esta semana se iniciam as movimentações da DW! São Paulo Design Weekend e quem deu o ponta pé inicial foi a High Design – Home & Office Expo, que acontece de hoje (8) até a próxima quinta-feira (10).

A High Design é uma feira de mobiliário de alto padrão que serve de evento âncora do DW! São Paulo Design Weekend! Criada no ano passado partir da experiência da Casa Brasil, realizada em Bento Gonçalves, a High Design foi pensada seguindo uma tendência internacional na qual os grandes festivais mundiais de design possuem feiras de negócios como âncoras, fomentando o intercâmbio entre elas, como acontece com o Fuorisalone e o Salão do Móvel da Itália.

O DW! é o maior festival de Design da América Latina, com reputação internacional, e até 2016 não possuía uma feira de móveis e decoração de interiores. “A High Design Expo veio para fechar esta lacuna e posicionar o setor em um novo patamar de valor, colocando o país no calendário mundial de eventos deste segmento”, explicou Lauro Andrade, CEO da Summit Promo, DW!. É durante a feira que as grandes marcas e designers apresentam seus lançamentos e o Armazém da Decoração está em São Paulo para conferir as novidades de 2017.

Este ano a exposição, de três dias de duração, apresente mais de cem marcas e oferece espaços de TALKS ampliados em diferentes ambientes para arquitetos, designers de interiores, construtores, lojistas, compradores internacionais e investidores.

Durante a feira, a programação de divide em quatro espaços de talks: CAFÉ + TALKS STUDIO HIGH – local de descontração com café e mini talks com designers e profissionais convidados –, KITCHEN EXPERIENCE – reunião de especialistas de diversas áreas reunidos para discutir como a cozinha reflete mudanças importantes no cenário contemporâneo –, DESIGN TRENDS TALKS – talk sobre o universo dos planejados – e o Congresso Nacional de Designers de Interiores.

Ruy Ohtake desenha balanço para a nova coleção Tidelli

A Tidelli convidou o arquiteto Ruy Ohtake para assinar móvel da nova coleção da marca, o balanço Pêndulo

 


Alfio Lisi, Tatiana, Luciano e Roberta Mandelli entre outros designers de renome que dão vida ao estilo Tidelli de design ganharam um reforço de peso para a nova coleção da marca, que será lançada este mês na High Design em São Paulo. É que Ruy Ohtake foi convidado para desenhar o próximo balanço da Tidelli. O móvel foi apresentado ao público hoje na BoomSP Design na instalação Transverdando, assinada pela paisagista Drica Diogo.

Não é a primeira vez que o arquiteto pede licença ao mundo da construção para desenhar móveis e objetos de decoração, muito embora seja mais conhecido por seus projetos arquitetônicos, como o Instituto Tomie Ohtake e os hotéis Renaissance e Unique. Em 2015, inclusive, algumas peças de design de Ruy integraram a mostra Ruy Ohtake, Imprevisibilidade, Desenho e Mobiliário com a exposição de poltronas, bancos, aparadores e namoradeiras desenhadas por ele.

Filho da artista plástica Tomie Ohtake, Ruy formou-se arquiteto pela Universidade de São Paulo na década de 1960 e foi considerado por Oscar Niemeyer como um dos mais legítimos representantes da arquitetura nacional. Com a parceria Ruy criou Pêndulo, o novo balanço Tidelli que já entrou na linha de produção da fábrica.

Feira de móveis segue com exposição até sexta em São Paulo

Um dos mais importantes eventos do Brasil do setor de móveis e decoração acontece até sexta feira na São Paulo Expo.

Começou ontem a segunda edição em 2017 da Feira Brasileira de Móveis e Acessórios de Alta Decoração (ABIMAD) um dos mais importantes eventos do Brasil do setor de móveis e decoração que acontece duas vezes ao ano na São Paulo Expo.

O evento segue até o dia 28 para apresentar aos lojistas de móveis e decoração, arquitetos, decoradores e designers as novidades do setor. Na 24ª edição, a Abimad homenageia os principais lojistas brasileiros e o Armazém da Decoração, muito bem representado por Maria Abadia Haich, está entre estes homenageados.

O evento reúne os maiores nomes do setor mobiliário para apresentar as novidades que serão tendências para os profissionais nos próximos meses e no início de 2018. Para compor a exposição, a feira conta com 106. Estima-se que até sexta cerca de 18 mil visitantes passarão pela São Paulo Expo.

Com o objetivo de propiciar um ambiente favorável à realização de novos negócios e networking, a feira é reconhecida, não só por gerar negócios no setor, mas também por ser a grande vitrine dos jovens talentos do design nacional. A expectativa da organização do evento é receber cerca de 30 mil profissionais entre arquitetos, designers e lojistas nos quatro dias de evento. A entrada da ABIMAD 2017 é gratuita, porém exclusiva aos lojistas do segmento de mobiliário e decoração e profissionais do setor e imprensa.