Primavera Kartell

Estação das cores é a estação da Kartell

sem-titulo

Final de setembro é tempo de primavera e primavera é tempo de colorido. O universo do policarbonato da Kartell entra em promoção com peças que permitirão transformar a cor em um importante elemento de decoração. É que a Kartell abusa do design ousado e colorido.

A decoração colorida ainda causa dúvida e medo em muitas pessoas, mas se bem trabalhada imprime personalidade ao ambiente. O importante é evitar o colorido arco-íris – aquele em que a pessoa vai colocando várias cores sem harmonia. Ser colorido e ousado não significa ser desequilibrado, por isso a dica é escolher alguns tons que fiquem equilibrados e usar os objetos baseados neles.

Mas a Kartell foi também a responsável pela criação e fabricação da primeira cadeira do mundo totalmente transparente, realizada em policarbonato em um único molde. Chamada La Marie, a peça une ao seu design básico e à sua estrutura de excepcional resistência a leveza e solidez, resultado de uma pesquisa atenta e meticulosa sobre o material.

Estação das cores é a estação da Kartell, porque design é nosso mundo!
sem-titulo-4 sem-titulo-3 sem-titulo-2

Flora doméstica

Espaços fechados exigem mais cuidado na escolha das plantas, mas pode fazer grande diferença no resultado final da decoração de um ambiente

foto-5
Planta, muita planta. É esta a pedida para projetar uma casa seguindo o estilo da sustentabilidade. À medida que o processo de urbanização avançou ao longo das últimas décadas, árvores e plantas foram cortadas para dar espaço para o concreto. Agora a arquitetura vem tentando resgatar as plantas perdidas ao longo dos anos e trazer mais verde para dentro das residências.

Quando se mora em uma casa, o processo é fácil. O maior desafio dos paisagistas é levar a floresta urbana para dentro dos edifícios, afinal, nem todas as espécies nasceram para viver em ambientes fechados. As plantas são grandes aliadas na limpeza do ar, já que os materiais presentes na decoração de um ambiente, como o vidro ou o tecido, são responsáveis por liberar produtos químicos que causam prejuízo em espaços com pouca ventilação.

Em ambientes menos ventilados, a escolha paisagística deve ser um pouco mais cuidadosa. A preferência é por plantas que não exigem muita exposição solar, mas que sejam capazes de purificar o ambiente. As dracenas são um bom exemplo, já que não pedem sol e não gostam de ambientes muito frios – perfeito para Goiânia.

Outra espécie que pode ser adaptada aos ambientes fechados é a do filodendro Pacová. O filodendro gosta de lugares quentes e iluminados durante uma parte do dia. As samambaias estão ganhando seu lugar nos condomínios verticais. Conhecida por resistir a quase todo o tipo de desafio, as samambaias não gostam de incidência direta de sol e um bom sistema de irrigação as tornam perfeitas para uma parede viva.

Dracenas

Dracenas

Filodendro Pacová

Filodendro Pacová

Um pouco mais de Goiás: Casa Oliva

Porque Goiânia e Goiás tem muita coisa para fazer que muita gente ainda não conhece

11999726_938453302863177_6872266537047176159_o

Não é de hoje que os goianos reclamam da falta do que fazer nas quentes terras do cerrado, mas o que muitos não perceberam é que nossa cidade (e estado) está crescendo. A cidade mais antiga do Brasil está localizada no interior de São Paulo. São Vicente foi fundada por Martim Afonso de Souza em 1532. Assim, levando em consideração que a cidade mais idosa do país possui 483 anos de idade, Goiânia e seus quase 82 anos é apenas uma pré-adolescente cidade brasileira tentando chegar à fase adulta.

Nosso transito já está digno das grandes metrópoles, e nisso acho que todos concordam. Mas o que muitos não sabem é que você não precisa voar para São Paulo ou dirigir até Brasília para apreciar bons restaurantes e assistir a bons filmes e nem viajar para o extremo norte ou sul do Brasil em busca de belos passeios turístico e ecológicos. O Blog AZ vai dedicar às segundas-feiras nesse novo mês para falar um pouco mais desse estado e sua atrações turísticas, gastronômicas e ecológicas com muito design, é claro.

E por falar em design, no tópico gastronomia, Goiânia não tem deixado a desejar. A cidade está recebendo novos bistrôs e restaurantes que chamam a atenção no quesito boa culinária e bela decoração. O restaurante foi projetado pelo Escritório Bittar, de Eduardo e Karla Bittar, e leva o nome Casa Oliva porque a Casa abriga um pé de Oliva em seu interior.

Entre outros nomes importantes, a Casa Oliva leva o de Paulo Mendes da Rocha. Suas Poltronas Paulistano fazem parte da requintada decoração do espaço. O restaurante não consolidou sua primeira filial no Parque Flamboyant em Goiânia. A Casa Oliva já existe há um tempo em Anápolis e trouxe sua cozinha italiana e suas saborosas pizzas para a capital goiana. Um belo local com muito design.

foto Edgar Cesar 12038490_938574076184433_319332958401441842_n

Fotos: Edgar Cesar

Chega ao fim mais uma temporada da Casa Cor Goiás

Hoje foi o último dia da temporada 2015 da mostra Casa Cor Goiás, que encerrou mais uma edição de sucesso

Casa Cor GOIAS

Em 2015, a maior mostra de design, arquitetura e paisagismo do Centro-Oeste completou 19 edições e encerrou mais uma temporada de sucesso. Este ano, a exposição goiana – comandada pelas as arquitetas Eliane Martins e Sheila Podestá – foi instalada na Mansão Anis Rassi, Setor Marista, para abrigar 37 ambientes projetados por 56 profissionais de arquitetura, decoração e paisagismo do estado.

Pertencente ao grupo Abril, a Casa Cor é reconhecida como a maior e melhor mostra de arquitetura, decoração e paisagismo das Américas e reúne, anualmente, renomados arquitetos, decoradores e paisagistas em mostras espelhadas por todo o país – que contou em 2015 com outros 19 eventos nacionais localizados em Alagoas, Bahia, Brasília, Campinas, Ceará, Espírito Santo, interior de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Santa Catarina, além de outros quatro eventos internacionais no Peru, Chile, Equador e Bolívia.

A mostra se apresenta como vitrine das tendências efervescentes nas áreas de arquitetura e decoração, mas conseguiu se despir do modismo que acompanha alguns eventos do mesmo seguimento. O lema de 2015 foi “Menos é Mais e Melhor” e a proposta não poderia ter sido mais acertada. Os arquitetos desempenharam um brilhante papel ao abandonar as tendências megalômanas para dar valor às origens e relações pessoais nos projetos de seus ambientes.

Outra novidade da Casa Cor 2015 foi o tema. A proposta de inspiração foi na brasilidade, definida por meio de um mapeamento de macrotendências que identificou o Brasil como referência de um lifestyle leve, alegre, diverso e encantador. “Ninguém abre a porta de casa de forma mais hospitaleira do que o brasileiro. Nosso objetivo é homenagear a identidade nacional. Por isso, estamos olhando mais para o nosso design e reconhecendo o valor da nossa cultura, história e jeito de ser”, explicou Eliane Martins ao falar da proposta para este ano.

Os 3.500 m² do Setor Marista que abrigaram a mostra fizeram parte da história da Casa Cor, que não é contada sem o auxílio luxuoso do Armazém da Decoração. Este ano, os móveis e artigos de decoração da loja fizeram parte de 13 dos 37 ambientes da casa. Encerramos mais uma temporada da Casa Cor com os cliques de Marcus Camargo dos elegantes ambientes de nossos amigos e parceiros.

Varanda

Varanda

Sorveteria

Sorveteria

Sala de Jantar

Sala de Jantar

Restaurante

Restaurante

Lounge Rio Quente

Lounge Rio Quente

Loft Léo

Loft Léo

Licença, seu Poteiro!

Licença, seu Poteiro!

Jardim Brasil

Jardim Brasil

Garagem Aventureiro

Garagem Aventureiro

Family Room

Family Room

Escritório

Escritório

Cozinha Mãe Joana

Cozinha Mãe Joana

Bilheteria

Bilheteria

Quando arquitetura, design e construção civil se encontram

A EBM incorporações promove o encontro entre construção civil, arquitetura e design de muito bom gosto

DECORADO GRANN FINESTRA

Na semana de abertura da Casa Cor Goiás 2015, não poderíamos deixar de falar de uma das patrocinadoras oficiais da mostra. Parceira da Casa e do Armazém da Decoração há anos, a EBM entrou no mercado em 1981 e entregou seu primeiro edifício na capital goiana em 1993. Atualmente a empresa já passou da marca de 1,5 milhão de m² construído e entregue.

Em 2003, a EBM lançou o conceito Life Style com projeto de empreendimentos de alto padrão. A empresa não poderia levantar um edifício sem pensar em como ele ficaria por dentro. Foi principalmente após a construção de residenciais que seguem o conceito Life Style e Luxury Style – uma evolução do Life Style que entrou no mercado em 2012 com empreendimentos de altíssimo padrão – que a EBM ficou ainda mais atenda em atender o desejo não apenas da construção civil e da arquitetura, mas também do design de interiores.

Os empreendimentos EBM já são entregues com a área comum decorada e não precisamos lembrar que quando a marca busca qualidade, acaba levando para a decoração de seus prédios o mobiliário AZ. Sérgio Rodrigues e Tom Dixon são alguns dos queridinhos escolhidos pelos decoradores da EBM.

Salões de festas com os lustres do inglês e lounge com poltronas de nosso mestre do design são alguns dos exemplos do encontro entre arquitetura, design e construção civil promovido pela EBM. Nos jardins, nomes como o de Benedito Abbud também são lembrados pela empresa. Outro que, por razões obvias, não foi esquecido pela marca é Oscar Niemeyer e suas peças também podem ser vistas nos decorados projetados pela incorporadora.

Na Casa Cor 2015, a EBM entra com ambiente operado pelo restaurante Moony e aposta nos drinks para criar um ponto de encontro durante a mostra. Pelo 9º ano patrocinando a Casa Cor, a EBM cedeu em 2015 a mansão no Setor Marista para a realização da mostra. A propriedade pertenceu ao médico Anis Rassi e foi negociada com a empresa para o desenvolvimento de dois empreendimentos de alto padrão, seguindo a tendência da linha Luxury Style.

DECORADO UBER CHATEAU MARISTA (4) CHATEAU MARISTA (3) CHATEAU MARISTA (2) BOSSA NOVA1

Quando o detalhe faz a diferença

Nas prateleiras das lojas não parecem tão chamativos quanto uma cadeira da Kartell ou uma poltrona Sérgio Rodrigues, mas os objetos de decoração podem mudar a cara de um ambiente. Não precisa ser um entendedor […]

decoração 6

Nas prateleiras das lojas não parecem tão chamativos quanto uma cadeira da Kartell ou uma poltrona Sérgio Rodrigues, mas os objetos de decoração podem mudar a cara de um ambiente. Não precisa ser um entendedor de decoração para perceber a importância desses objetos de design que muitas vezes parecem caros e desnecessários. Bom, antes de tudo, ele realça os espaços.

O caro pode sair barato, pois repaginar um ambiente não necessariamente significa reformá-lo – a reforma sim sai cara. Apenas trocar as peças de decoração já faz toda a diferença. Porque não um tapete novo, uma luminária diferente ou peças mais ousadas como uma bicicleta exposta como obra de arte? A verdadeira beleza da decoração mora nos detalhes e os objetos de decoração são o detalhe que muitas vezes falta nas decorações.

Em muitos casos a quantidade não é o mais importante, com poucos artefatos – que podem ser alterados de lugar periodicamente – a decoração já ganha uma nova personalidade. É importante lembrar que personalidade é a palavra chave no quesito decoração. Não importa se os objetos são para decorara uma casa ou um escritório, eles devem sempre expressar a personalidade de seu dono.

Coringa na decoração os artefatos podem completar os espaços vazios. Viu e gostou? Compra!! Os objetos podem não se encaixar no ambiente naquele momento, mas estarão disponíveis para um novo espaço ou uma nova decoração. Castiçais, bandejas, porta papeis, jarras e miniaturas de animais são a cereja do bolo e valorizam o espaço.

Os objetos de decoração são a continuação lógica do projeto arquitetônico. Uma decoração contemporânea muitas vezes não combina com objetos medievais, mas esse é o momento para brincar com seu ambiente. Uma casa moderna com um lustre Maria Tereza ou um espaço contemporâneo com um móvel antigo dão um toque diferente ao ambiente. O importante é deixar a criatividade e a imaginação fluírem, pois o espaço é seu.

decoração 2 decoração decoração 5 decoração 3 decoração 4

Da fotografia ao design industrial para a decoração

Os amigos Léo Capote e Marcelo Stefanovicz uniram suas forças e criatividades em trabalhos inusitados que assumem o papel de objetos utilitários e peças de decoração

1094965
Fotografia e design industrial parecem duas áreas distantes, mas os amigos e parceiros Léo Capote e Marcelo Stefanovicz uniram suas formações na criação de peças bem humoradas, lúdicas e cheias de arte. Foi em um galpão de fábrica no bairro paulistano de Santa Cecília que o fotógrafo Marcelo e o designer Léo começaram a trabalhar junto há um ano e meio.

“Penso de maneira prática e gosto de manipular ferramentas, enquanto o Marcelo é mais artista. Temos características complementares”, explicou Leo sobre o trabalho desenvolvido pela dupla. O olhar artístico do fotógrafo casou bem com as técnicas e o olhar industrial do designer. Juntos passaram a desenvolver peças de mobiliário e verdadeiras instalações com um estilo que transita entre o vintage e o contemporâneo.

A primeira linha da dupla foi desenvolvida com peças de ferramentas de obra. Leo e Marcelo possuem uma mesa de picaretas, outra de machados e chegaram a desenvolver fruteira com colher de pedreiro. Dai surgiu o termo “bem humorado” para adjetivar o trabalho da dupla. As luminárias saíram como verdadeiras instalações, dessas que encontramos expostas em museus de arte contemporânea das grandes metrópoles. É como se alguém as tivesse esquecido ali, como que por uma brincadeira.

A maior referência do fotógrafo e do designer são os irmãos campana. “Fernando e Humberto frequentavam a loja de parafusos do meu avô, da qual sou dono hoje, e me convidaram para estagiar no estúdio deles”, contou Léo. Os dois possuem hoje importantes produções independentes com formas e materiais que assumem o papel de objetos utilitários inusitados e peças de decoração.
1185618_211833415607439_2017611312_n 1185064n 1173897_211833378940776_139456649_n

Começa hoje a 5ª edição do Encontro de Arquitetura e Design (EARQ)

Começou nesta terça (16) a quinta edição do maior evento de design e arquitetura do Centro-Oeste

EARQA semana é de design em Goiânia, pois o Centro Cultural Oscar Niemeyer passou a sediar hoje o maior evento de arquitetura do Centro-Oeste. Até o dia 18 de setembro, a capital reúne um time de grandes nomes da das áreas de arquitetura, design e decoração em um evento maduro e consolidado com o objetivo de promover interação e troca de contatos e experiências entre os profissionais. Estamos falando do Encontro de Arquitetura e Design (EARQ), que chega em 2014 a sua quinta edição.

“É muito gratificante, para nós organizadores, saber que o EARQ é hoje o maior encontro de arquitetura e design do Centro-Oeste. Com a realização de um evento que traz conteúdo, conhecimento, intercâmbio de informações e muito networking, entramos definitivamente no circuito da capital e também no circuito nacional”, afirmou o diretor do evento, Israel Braga, em entrevista para a Revista Di Casa. Em 2014 o EARQ conta com a parceria do Armazém da Decoração, que lançou esta semana a Ação ALPHABETO AZ para brindar os grandes nomes do design ao mesmo tempo em que a cidade abre as portas para o evento.

O primeiro EARQ, realizado 2010, contou com dois palestrantes em dois dias de evento. No último ano, o EARQ mostrou que teve um crescimento de 400% em termos de público. A quinta edição conta com nove convidados, além de algumas atrações especiais. Confira a programação e os palestrantes:

16 de setembro de 2014

Palestrante: Paulo Alves
Tema: Design com afeto
Horário: 16h30

Fascinado pelo trabalho com madeira desde a infância em Jardinópolis (SP), Paulo Alves formou-se arquiteto pela Escola de Engenharia da USP de São Carlos. Ainda na faculdade, começou a acompanhar o trabalho de um dos ícones da arquitetura brasileira, Lina Bo Bardi, integrando seu escritório em 1992. Usando a madeira com maestria, o profissional fabrica suas próprias criações em marcenaria desde 1994, influenciado pelas formas modernas, observação da natureza e fascínio pelas possibilidades desta matéria-prima tão nobre quanto marcante da nossa cultura. Em seus desenhos, há o olhar de um arquiteto que cria estruturas elegantes e originais de traço racional, com um frescor que revigora o legado dos grandes mestres do mobiliário moderno no Brasil.

 

Palestrante: Muti Randolph
Tema: Tempoespaços – criando experiências imersivas e espaços que reagem ao som
Horário: 18h30

Assinar projetos integrados de design, arquitetura e iluminação é a grande marca de Muti Randolph, que começou como designer gráfico e hoje é referência na criação de ambientes interativos. Sua origem gráfica é visível na mistura entre o 2D e o 3D, o gráfico e o espacial, muito presente durante a trajetória do profisisonal. Mas é a relação com a quarta dimensão que recebe maior atenção em seu trabalho mais recente. Muti Randolph busca o dinamismo mesmo num meio, por tradição, fixo e permanente como a arquitetura. Além disso, a música e a arte do tempo sempre foram para ele uma influência e uma paixão. Não por acaso, a maior parte de seus trabalhos gira em torno de capas de disco, cenários de shows e projetos de casas noturnas.

 

Palestrante: Guto Requena
Tema: Arquitetura, design e comportamento na Era Digital
Horário: 20h40

Nascido em Sorocaba, interior de São Paulo, Guto Requena graduou-se em Arquitetura e Urbanismo no ano de 2003 pela Universidade de São Paulo (USP). Durante nove anos, foi pesquisador do NOMADS.USP – Centro de Estudos de Habitares Interativos da Universidade de São Paulo. Em 2007, obteve seu mestrado na mesma Universidade com a dissertação “Habitar Híbrido: Interatividade e Experiência na Era da Cibercultura”. No escritório Guto Requena Arquitetura e Design, o profissional desenvolve consultoria de design e projetos residenciais, comerciais, instalações interativas e mobiliário. O estúdio reflete sobre memória, cultura digital e poéticas narrativas em todas as escalas do design.

 

Data: 17 de setembro de 2014

 Palestrante: Jamile Tormann
Tema: Da gestão ao projeto de iluminação e arquitetura
Horário: 16h30

Jamile Tormann atua no mercado há 25 anos e é reconhecida em cenário nacional. A profissional começou a trabalhar em junho de 1989 com o iluminador João Acir de Oliveira, em Porto Alegre (RS). Recebeu três prêmios de Melhor Iluminação e várias indicações. Iluminou o Ballet de Cuba de Camaguey, o Programa Casseta e Planeta da Rede Globo e o show Cássia Eller – Com você, Meu Mundo Ficaria Completo, entre outros. Trabalhou também com várias companhias de teatro e diretores como Wolf Maia, Aderbal Freire Filho e Sidney Cruz. Jamile desenvolveu ainda o projeto de arquitetura cênica e de iluminação do Café Literário da 26ª e 27ª Feira do livro de Brasília (DF) e realizou o projeto de iluminação do Desfile Palmas Fashion Week 2009 e 2010.

 

Palestrante: Henrique Steyer
Tema: Design inusitado e suas diferentes fontes de inspiração
Horário: 18h30

Henrique Steyer estudou design em Milão, ganhou prêmio de décor na Turquia, foi capa de revista na China, projetou loja na África do Sul e seus projetos foram publicados em mais de 30 países. Rodou o mundo antes de voltar para sua Porto Alegre natal, onde atua como um dos arquitetos mais prolíficos e talentosos de sua geração. Também responde pela direção artística das produções fotográficas da Florense, super grife de móveis planejados. Entre um projeto de interiores aqui e um arquitetônico acolá, passeia por espaços residenciais e corporativos e não pensa duas vezes antes de alçar vôos mais conceituais – como a série de quadros What if? e o artista imaginário Mark Gary Adams.

 

Palestrante: Miguel Pinto Guimarães
Tema: Arquitetura residencial
Horário: 20h40

Miguel Pinto Guimarães é formado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. No ano de 2003, montou o Miguel Pinto Guimarães Arquitetos Associados, um escritório focado em atendimento personalizado, no estabelecimento de uma diferente relação com seus clientes e no desenvolvimento de uma arquitetura autoral. Com característica contemporânea e linguagem moderna, Miguel desenvolve espaços amplos, onde a luz natural sempre é bastante explorada, aliando materiais naturais à tecnologia de ponta. Outra marca constante no trabalho do arquiteto é a busca por provocar sensações. Seus ambientes pretendem propor às pessoas não só uma experiência visual, mas também uma experiência sensorial, porque a arquitetura antes de ser vista, deve ser sentida.

 

18 de setembro de 2014

Palestrante: Pedro Ernesto Gualberto
Tema: Desenvolvimento de projetos arquitetônicos – da concepção ao interior
Horário: 16h30

Pedro Ernesto Gualberto atua nas áreas de projeto de arquitetura de residências e prédios, tanto na concepção do projeto arquitetônico como no design de interiores. Na área comercial, desenvolve projetos de lojas, escritórios, clínicas, restaurantes e hotéis, dentre outros. Já em termos de projetos urbanísticos, o profissional trabalha com desenvolvimento, planejamento e implantação. Pedro Ernesto iniciou sua carreira profissional no ano de 1998, logo após a conclusão da graduação, elaborando e executando os primeiros projetos em seu escritório. Sua grande marca é sempre buscar a harmonia do clássico com o contemporâneo, sem se prender a modismos.

 

Palestrante: Gilberto Elkis
Tema: Revestimentos naturais
Horário: 18h30

Gilberto Elkis é um dos maiores nomes do paisagismo brasileiro e está há mais de 25 anos no mercado, sendo reconhecido pela técnica da topiaria e por seus projetos que aguçam os cinco sentidos humanos. Ao pensar na harmonia entre o espaço a ser projetado e o desejo de seu cliente, Gilberto Elkis imprime sempre sua marca – a versatilidade. Em seus projetos, é possível identificar a busca pela liberdade natural do jardim, onde as plantas adquirem volumes e formas diversas espontaneamente, ao mesmo tempo em que também se percebem as características geométricas do grande paisagista do barroco francês, Andre Le Nôtre. A tradução do que o criador já viveu e experimentou ao longo de seus 22 anos de carreira resultam em uma bela síntese de estilos.

 

Palestrante: Guilherme Torres
Tema: Arquitetura brasileira para o Século XXI
Horário: 20h40

Com estilo contemporâneo que foge dos padrões básicos da arquitetura e decoração, Guilherme Torres se destaca entre os principais nomes do mercado. Formado em Arquitetura e Urbanismo pelo Centro de Estudos Superiores de Londrina – UNIFIL e pós-graduado em MBA Gestão Empresarial pela Fundação Getulio Vargas – FGV, Guilherme possui um considerável numero de premiações e tem visto suas criações conquistarem espaços em publicações especializadas por todo o globo. Volumes suspensos e linhas delgadas, com poucas e marcantes linhas, são a marca registrada do arquiteto. O equilíbrio é o ponto focal de suas experimentações projetuais, com a presença de elementos rústicos em residências ou branco absoluto em algumas obras comerciais.

As inscrições podem ser feitas pelo endereço eletrônico do evento e o preços variam de R$ 68 a R$ 410 dependendo do passaporte e da quantidade de dias escolhidos pelo participante. Mais informações no site oficial do EARQ 2014.

Serviço
Encontro de Arquitetura e Design (EARQ)
Quando: 16 a 18 de setembro
Onde: Centro Cultural Oscar Niemeyer

 

Clink78 Hostel, Londres

Mais um hostel design para a lista de acomodações baratas, elegantes e cheias de charme do Blog AZ

clink78-beautiful-18thC-listed-courthouse-6
Quem vai a Londres não espera nada menos que acomodações vitorianas, então o Clink78 Hostel uniu a arquitetura à la rainha do prédio onde está localizado – antigo tribunal de 200 anos de idade – com um design de interiores elegante e despojado. Aliás, elegância e criatividade são palavras de ordem quando a missão é decorar um albergue.

O Clink78 Hostel foi construído na Zona 1 de Londres, próximo da King`s Cross e da St Pancras Station, com capacidade para receber até 700 pessoas. Ele faz parte Clink Hostel que além do Clink78 também possui em sua rede o Clink261, com título de hostel boutique. O Clink261 é a mistura entre o que há de chic e moderno no leste de Londres com o conforto antiquado tipicamente britânico.
clink78-reception-6

O design interno do Clink78 fantasia o estilo vitoriado de traços contemporâneos. Com muita cor, claro!! Eles utilizaram os traços do estilo da rainha aproveitado da arquitetura do edifício e valorizaram seus detalhes com muita cor. O bar do alberque, ClashBar, possui licença para operar até altas horas, com entretenimento e música, então seu estilo combina com o conceito despojado dos hostels design.

Clink78 oferece uma gama de acomodação de albergue, mas a atenção é toda voltada para a Cela de Prisão. Como o lugar foi construído em um antigo tribunal, os quartos apelidados de Cela de Prisão (duplo ou solitário) foram ambientes renovados que antes eram utilizados por criminosos verdadeiros. O espaço foi listado como Patrimônio Histórico Inglês, com características originais da prisão: tamanho pequeno, porta de metal pesada com escotilha, janela com grade, banco e vaso sanitário de aço (não mais utilizado).

Cela de Prisão

Cela de Prisão

Além desses, o Clink78 oferece dormitórios mistos – entre quatro e 16 camas – femininos e femininos luxo. Os preços variam de acordo com a temporada, mas os quartos podem ser reservados por diárias a partir de apenas £10 por noite.

clink78-the-modern-extension-3 clink78-facilities-dining-area-2 clink78-deluxe-girls-dorms clink78-ceiling-of-the-TV-film-courtroom

Destino de luxo

Os cinemas de luxo estão ficando cada vez mais comuns em cidades brasileiras e no exterior, mas alguns merecem destaque como o Akmerkez Cinema Pink

IMG_5185
Grandes empreendimentos que buscam o luxo começam seus investimentos na decoração e é o que vem fazendo algumas redes de cinema espelhadas pelo Brasil e pelo mundo. Os cinemas de luxo oferecem muito mais que um bom filme em uma sala escura com tela grande, eles buscam o tratamento cinco estrelas para seus clientes. Os proprietários da Playarte desembolsaram mais de 5 milhões na arquitetura e decoração da nova sala de cinema de luxo de São Paulo.

O conceito é um só. São sofisticadas salas vips instaladas nos cinemas dos shoppings, que, em troca de cardápios diferenciados, pipocas com azeite importado e poltronas megaconfortáveis, cobram valores que chagam a 50 reais por ingresso no Brasil. Aqui essas salas começaram a se popularizar após terem dado certo na Europa e na América Central. São Paulo é a cidade com o maior número de salas de cinema de luxo e atualmente conta com doze locais refinados do gênero. Em Brasília, há dois da rede Kinoplex, e, no Rio de Janeiro, um no Shopping Rio Design Barra.

Uma experiência Premium que chamou a atenção do Blog AZ é o Akmerkez Cinema Pink de Istambul. O cinema Pink fica localizado no Akmerkez, um shopping de luxo da cidade. O design das salas é assinado por Aziz Sariyer e produzido por sua empresa, a Derin Design, e a arquitetura é de Filiz Yilmaz e da Zeppelin Design. Além de todos os mimos que um cinema de luxo disponibiliza para seu público, o Akmerkez Cinema Pink conta com um design para lá de inspirador.

Seus criadores chamam o Cinema Pink de Social Cinema Club. “Clientes procuram nosso cinema para aproveitar o tempo e socializar lendo um livro da nossa biblioteca enquanto bebe um café e escuta jazz”, explicou Carine Sener, chefe executiva da empresa. “Todas as nossas salas de cinema são únicas, com poltronas extremamente confortáveis”. O design é a mistura de uma biblioteca sofisticada, um café futurista e uma sala de estar com muito estilo e conforto.

A experiência parece ser realmente única, mas como estamos à milhas de distância de Istambul, teremos que aproveitar o Cinema Pink por meio de suas fotos. O que acharam?!
IMG_5183 IMG_5177 IMG_5148