Design é Nosso Mundo / Poltrona Paraty

Poltrona e Banqueta Paraty de Sérgio Rodrigues

O design robusto do mestre do design brasileiro ganhou o mundo. As poltronas de Sérgio Rodrigues, icônicas peças do mobiliário modernista nacional, se destacaram não apelas pelo desenho e forma, mas também pelo conforto. Sérgio dizia que tinha o melhor jurado para avaliar a ergonomia de suas peças: seu gato. Caso o gato não gostasse de seus protótipos, eles eram melhorados.

Um desses ícones do conforto é a dupla de poltrona e banqueta Paraty. A poltrona foi desenhada em 1963 e ganhou uma nova reedição no ano de 2012 feita pela LinBrasil, marca autorizada a produzir e comercializar os móveis assinados por Rodrigues.

A peça sempre se destaca e é mencionada quando o assunto é elencar as obras mais importantes de Sério. A peça une os dois materiais preferidos do mestre: madeira e tecido. O tecido possibilita com que a cadeira seja comercializada em diversas cores e estampas. A madeira maciça, responsável por sustentar o assento, carrega também todo o charme da peça.

X de Xibó

Sérgio Rodrigues

ALPHABETO AZ (redes sociais) X
O mestre do design abre mais uma letra no Aphabeto AZ, porque não tem outra peça tão perfeita para caber em nosso X. Design sofisticado e traços modernistas é escola de Sérgio Rodrigues. O carioca direcionou seu trabalho para o design mobiliário quando começou a dar mais atenção à arquitetura feita no interior. O designer dizia que um prédio que não se preocupa com as partes internas é apenas uma escultura.

Ao contrário dos que desenham apenas por desenhar, Rodrigues o fazia por paixão. O carioca orgulhava em dizer que nunca criou um móvel por encomenda, já que todas as suas peças tinham que lhe emocionar. A inquietação do designer ajudou seu lado criativo e Sérgio transformou seu trabalho em uma das mais admiráveis expressões do design nacional.

Entre os trabalhos da década de 1960 e as releituras dessas peças produzidas nos anos 2000 pela LinBrasil nasceu a Poltrona Xibó. A peça, que começou a ser esboçada na década de 1990, é uma versão masculina da Poltrona Killin. A finalização da poltrona contou com o auxílio luxuoso de seu primo e discípulo Fernando Mendes que pegou os antigos desenhos de Rodrigues e os trouxe à vida. A poltrona foi estruturada em freijó natural ou tonalizado, mas o chame ficou mesmo por conta do couro. O assento e encosto foram revestido de soleta e couro natural preto.

V de Vick

Bernardo Figueiredo

ALPHABETO AZ (redes sociais) V
O universo do Design possui algumas figuras de ouro e Bernardo Figueiredo é uma delas. Influenciado pelo design modernista de Joaquim Tenreiro, o carioca dedicou parte da sua vida para a criação de móveis. Ao lado de peças do próprio Tenreiro e do outro mestre do design nacional Sérgio Rodrigues, poltronas e cadeiras de Bernardo estão desfilando pelas salas e corredores do Itamaraty.

Bernardo Figueiredo é formado em arquitetura pela antiga Faculdade Nacional de Arquitetura (atual Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ) e na década de 1960 o designer se encantou pelo design e encantou o design com suas peças. No auge da sua carreira, Figueiredo criou sua própria linha de móveis residenciais e desenvolveu 80 peças em menos de seis anos.

Nos anos seguintes Bernardo Figueiredo se voltou para a arquitetura à frente de seu escritório Arquitetura Espacial, no Rio de Janeiro, e seu trabalho no ramo moveleiro acabou sendo reeditado pela Schuster em 2011, um ano antes da sua morte. Foram 75 peças dos trabalhos mais emblemáticos de sua obra reeditadas pela empresa gaúcha. “Procuramos Bernardo para ser o curador da linha de móveis a ser lançada em 2011. Mas, quando soubemos que sua obra estava fora de produção, não tivemos dúvida. Decidimos relançar alguns dos móveis desenhados por esse profissional, que faz parte da história do design nacional”, revelou Mila Rodrigues, diretora de criação da Schuster, em entrevista à época.

Bernardo deu ao seu trabalho um forte toque de brasilidade e sua trajetória como designer foi marcada pela valorização dos materiais brasileiros, como o jacarandá e a palha. Um exemplo claro dessa valorização, em linhas retas e sóbrias, é a poltrona Vick. Vick ganhou hoje nosso V, no Alphabeto AZ. Porque Design é Nosso Mundo.

Paulo Mendes da Rocha / Poltrona Paulistano

As curvas modernistas e o design atemporal de Paulo Mendes da Rocha e sua poltrona Paulistano

imagem
“Imaginei desenhar a cadeira com o desenvolvimento contínuo de uma mesma linha e vestimenta leve. Um lugar para a figura humana, suspensa no espaço”, declarou o criador da Poltrona Paulistano, que completa 57 anos de idade em 2014 com muita fama e ainda na moda, claro.

Paulo Mendes da Rocha assinou a poltrona como seu primeiro grande projeto após graduar-se em arquitetura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie de São Paulo. Jovem e cheio de ideias, o designer fez sucesso e hoje é um dos mais importantes e premiados arquitetos e urbanista brasileiro.

A poltrona? Um luxo!!! Além de chamar a atenção por suas linhas curvas com traços expressamente modernistas, ela esbanja uma atemporalidade conquistada pelas inúmeras estampas que desfilam o design têxtil brasileiro.
Paulo Mendes

A oportunidade foi ótima para que o mercado têxtil nacional pudesse mostrar ao mundo sua capacidade. “É um momento importante e uma excelente oportunidade de apresentarmos toda a qualidade e o design dos nossos produtos têxteis a um mercado extremamente exigente”, destacou Ramiro Sanchez Palma, então coordenador do Comitê Texbrasil Decor, quando as poltronas foram apresentadas em uma edição do Salão Internacional do Móvel em Milão.

O arquiteto também merece destaque, claro! Paulo Mendes da Rocha assumiu uma posição de destaque a partir do premio Pritkzer que recebeu em 2006. O arquiteto e designer deu vida, por meio de seus fascinantes projetos, ao museu Brasileiro da Escultura (Mube), o pórtico da praça Patriarca, a reforma da Estação da Luz e o ginásio do Clube Paulistano.

Desde o início de sua carreira, Paulo valorizou uma arquitetura “crua, limpa e clara”, característica que imprimiu também em seus mobiliários. A poltrona Paulistano é um ótimo exemplo desse design sóbrio, que apresentava soluções formais para arquitetura contemporânea.

imagem 2 imagem 3